Foram disponibilizados no sistema e-natjus dois Pareceres Técnico-Científicos (PTC) sobre os derivados da cannabis e seus análogos sintéticos para pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e para esclerose múltipla (EM).

O PTC sobre cannabis para TEA incluiu dois ensaios clínicos que avaliaram o extrato da cannabis integral e o extrato da cannabis purificada versus placebo para crianças e adolescentes com TEA de graus variados. Quando comparada ao placebo, após 12 semanas, o extrato da cannabis integral pode aumentar a proporção de pessoas com melhora do escore global de sintomas, mas o efeito do extrato purificado de cannabis para este mesmo desfecho é incerto. O efeito dos dois formatos de administração nos eventos adversos graves também é incerto. Não foram identificados estudos que comparassem a cannabis com outras tecnologias disponíveis no SUS, como a risperidona.

O PTC sobre cannabis e canabinoides para EM incluiu uma revisão sistemática que avaliou 25 ensaios clínicos. Foi observado que, quando comparada ao placebo, a cannabis provavelmente reduz a espasticidade e melhora a percepção global dos sintomas. Porém, pode aumentar a incidência de eventos adversos graves, a incidência de eventos adversos relacionados ao sistema nervoso central e a incidência de eventos adversos relacionados a transtornos psiquiátricos. Foi identificada pouca ou nenhuma diferença na qualidade de vida, e há incertezas quanto aos efeitos dos canabinoides na dor.

Para acessar os PTC, clique diretamente nos títulos a seguir ou entre pelo sistema e-natjus.

Parecer técnico-científico sobre os efeitos dos derivados de cannabis e seus análogos sintéticos para o tratamento do Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Parecer técnico-científico sobre os efeitos dos derivados de cannabis e seus análogos sintéticos para o tratamento de esclerose múltipla.