Em publicação no portal Folha de Pernambuco, a especialista em direito da saúde, Natália Soriani, discute aspectos críticos relacionados à judicialização da saúde no Brasil.

Tendo como ponto de partida o valor gasto pelas operadoras de saúde no ano de 2023, cerca de 5,5 bilhões de reais, decorrentes de processos de judicialização da saúde, a autora apresenta aspectos conceituais da judicialização, descreve brevemente o contexto regulatório no âmbito da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e aborda características do processo de judicialização. 

Garantir acesso a tecnologias em saúde ao mesmo tempo em que se leva em consideração a sustentabilidade financeira do sistema são pontos discutidos no texto, tendo em vista que há uma limitação de recursos.

Confira o texto na íntegra: https://www.folhape.com.br/noticias/opiniao/os-reflexos-da-judicializacao-da-saude-no-brasil/326251/